Websérie lança olhar sobre o papel das mulheres na dança social

 

Websérie lança olhar sobre o papel das mulheres na dança social

 

Enlace retrata em dez episódios questões íntimas, muitas vezes envolvendo cenas de abuso, e como a história das personagens uniu a dança urbana e o tango, resultando em uma jornada de reinvenção, resistência, plural e democrática

 

As dançarinas Carol Mendes e Paola Vasconcelos são as protagonistas da websérie Enlace, que estreia dia 30 de junho (quarta-feira), às 18h, no IGTV (@oprojetoenlace) e no Youtube (projetoenlace). Em dez episódios, elas retratam questões íntimas, muitas vezes envolvendo cenas de abuso, e como a história das personagens uniu a dança urbana e o tango, resultando em uma jornada de reinvenção, resistência, plural e democrática. Nessa diversidade de linguagem, Carol e Paola geraram um encontro provocativo e inusitado, capaz de desestabilizar a hegemonia masculina.

 

 

No roteiro, a voz masculina aparece como antagonista. Representa o machismo estrutural, o patriarcado. “O antagonista é daquele homem que assedia mulheres na rua, que usa frases desagradáveis e descredibiliza as mulheres ao redor. É o ‘deus’, a soberania masculina, o homem branco, é o poder. É o que estamos vendo com força na pandemia”, destaca Carol Mendes.

 

“Enlace é uma rede tramada estrategicamente por mulheres que descobrem seus corpos como um campo de batalha diário. Suas danças se encontram e abraçam o diferente para assegurar a liberdade e o direito de escolha”, complementa Paola.

 

Contemplado pelo Prêmio Fumproarte de Produção em Dança, da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre, o projeto de espetáculo de dança se transformou em websérie devido à pandemia. Desse modo, a história é dividida em três momentos específicos. O primeiro mostra a intimidade de Carol e Paola e as opressões vivenciadas no universo da dança, até o momento do encontro entre elas e da possibilidade de reinventar os movimentos. Num segundo momento, as duas mergulham numa pesquisa sobre como a dança poderia desestabilizar a hegemonia masculina. Desafiadas pelo antagonista – a voz masculina –, as personagens vivem um enfrentamento social até descobrirem uma dança coletiva, que permitirá chegar a um lugar de destaque. Na terceira e última parte, o poder dessas novas descobertas flui ao encontro da responsabilidade de ser artista, de disseminar e convocar a existências de femininos plurais.

 

Os dramas refletidos na dança
Nascida e criada na periferia de Porto Alegre, Carol Mendes teve uma educação bastante conservadora e religiosa. Filha mais nova de uma família de militares, ela descobriu na dança urbana a possibilidade de se expressar.

 

Viveu uma relação tóxica, sentiu na pele a violência de ser mulher, parou de dançar quando engravidou, mas não desistiu. Voltou à cena com o NECITRA – Núcleo de Experimentações Cênicas e Transversalidades, para mostrar que a dança urbana é sua ferramenta de empoderamento e de sustento.

 

Em Enlace, Carol reconta a sua história, a agressão que sofreu no meio da dança e o papel de mãe solo de um menino. Ao revelar como a dança auxiliou nesse processo de reconexão com sua ancestralidade, ela torna-se forte para ajudar Paola a se livrar dos desafios impostos pelo patriarcado.

 

Já a artista de tango e dança de salão Paola Vasconcelos foi criada por uma família classe média branca. Estimulada a estudar e buscar seu caminho, foi na dança a dois que ela encontrou a sua maior paixão: vivenciar momentos de desestabilização de mundos conhecidos e partilhar um improviso dançando, tocando e sendo tocado pelo outro. Ao mesmo tempo, esse toque se tornou a sua maior angústia, por ser uma prática pautada nos papéis sociais binários e heteronormativos.

 

Na série, ela interpreta o papel de dama, tal qual como foi educada a ocupar, escancarando a submissão à figura masculina. O encontro com Carol traz à tona suas inquietações e o desejo por uma vida mais autêntica e livre.

 

FICHA TÉCNICA
Concepção: Carol Mendes, Paola Vasconcelos e Ramon Ortiz
Direção Geral, roteiro e dançarina: Paola Vasconcelos
Direção Coreográfica e dançarina: Carol Mendes
Produção Executiva: Ramon Ortiz
Consultoria de Roteiro: Alessandro Engroff
Direção de Arte: Carolina Rosa
Direção de Fotografia: Theo Tajes
Câmera: Theo Tajes
Montagem: Fotografilmes
Animação: Natália Koren
Trilha Sonora: Nagui Beats
Composição da faixa “Lábios” criação, arranjos, produção musical e violinos: Clarissa Ferreira
Acordeon: Renato Müller
Gravado em Estúdio Mochila
Participação Especial Slam: Agnes Mariá
Corealização: NECITRA
Apoios: Von Teese Bar e Ateliê das Pedras

 

Crédito das fotos: ©Fotografilmes

Compartilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn