Vacinação contra a Covid-19: Tire suas dúvidas

 

Vacinação contra a Covid-19: Tire suas dúvidas

 

1) Onde é feita a vacinação contra Covid-19 em Porto Alegre?
A imunização é feita nas unidades de saúde que são referência para vacinação. Hoje são pelo menos 31 por toda a cidade. Este número vai sendo ampliado conforme aumenta a população nas faixas etárias que vão sendo gradativamente contempladas. Também há drive-thrus que são previamente anunciados e também aumentam de número conforme cresce a população a ser vacinada. Profissionais de saúde são vacinados em unidades específicas para isso e numa rede com cerca de 20 farmácias credenciadas, que atendem os trabalhadores contemplados conforme o Plano Municipal de Vacinação e determinações federais para esse público. À medida em que outras categorias profissionais ou segmentos da sociedade vão sendo adicionados à vacinação, é criada a estrutura em locais adequados para que a imunização ocorra sem problemas.

 

2) Que documentos devo apresentar?
Para primeira dose, documento de identidade com CPF e comprovante de residência em Porto Alegre, além do documento de autodeclaração para os profissionais de saúde. Para 2ª dose, documento de identidade e cartão de vacinação recebido na primeira aplicação. Para os profissionais de saúde, é fundamental que estejam em atividade e comprovar, conforme o caso, o vínculo com as instituições em que trabalham.

 

3) A vacina é segura?
Sim. Todas as vacinas contra a Covid-19 que estão sendo aplicadas no Brasil foram submetidas a vários testes para comprovar sua eficácia, qualidade e segurança e foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

 

4) Sou obrigado a tomar a vacina?
A vacina é fornecida gratuitamente e é voluntária. Só recebe quem assim o desejar. Mas as autoridades de saúde recomendam a vacinação como a melhor forma de proteção individual e para ajudar no controle da pandemia em nível coletivo.

 

5) Quem pode receber a vacina?
A vacina contra a Covid-19 está indicada para todas as pessoas maiores de 18 anos. No entanto, é aconselhado consultar o médico em algumas situações específicas, como ter histórico anterior de alergias, principalmente a algum tipo de vacinação, ou ter enfraquecimento do sistema imune, como acontece em pacientes com câncer ou a fazer tratamentos que dificultem o funcionamento do sistema imunológico. Uma vez que o acesso à vacinação é limitado, cada país implementou um plano de vacinação que divide a população em grupos de prioridade, de forma a providenciar as primeiras vacinas para as pessoas com maior risco de uma infecção grave.

 

6) Porque devo tomar a segunda dose?
A imunização completa depende da segunda dose. A pessoa só estará protegida contra formas graves da doença se tomar as duas doses, no caso de vacinas produzidas com esta indicação, como a Coronavac e a Oxford, que são as que vem sido utilizadas na campanha de imunização.

 

7) A vacina mata o vírus?
Não. A vacina impede que a pessoa imunizada desenvolva formas graves da doença, que é o que provoca as internações hospitalares e muitas vezes leva à morte.

 

8) Quanto tempo demora para vacina fazer efeito?
Leva algumas semanas. É preciso que o corpo produza os anticorpos que garantem a imunidade. Pessoas que contraíram o vírus nas semanas anteriores à vacinação, ou mesmo logo após a vacina, podem apresentar sintomas, uma vez que o organismo ainda não desenvolveu os anticorpos necessários. No caso das vacinas que exigem 2ª dose, como a Coronavac e a Oxford, o melhor índice de proteção é verificado cerca de duas semanas após a 2ª dose.

 

9) Quanto tempo dura a imunidade que a vacina dá?
Os estudos realizados até agora não tem precisão, por isso é necessário que todos, mesmo vacinados, continuem se cuidando.

 

10) A vacina pode alterar o meu DNA?
Não. Mesmo que algumas vacinas tenham sido elaboradas a partir de partes do RNA do vírus, isso não altera o DNA das células humanas, agindo apenas para estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos contra a Covid-19.

 

11) Eu já tive Covid- 19. Posso ser vacinado?
Sim, pois é possível que alguém que já foi infectado volte a desenvolver infecção. Porém não se deve tomar a vacina quando a infecção estiver ativa, e sim, receber a aplicação mais de 28 dias após o início dos sintomas ou confirmação do teste.

 

12) Eu posso transmitir o vírus mesmo depois de vacinado?
Sim. A vacina protege contra o desenvolvimento de formas graves da infecção. Uma pessoa vacinada, mesmo com pouco risco de desenvolver sintomas graves pode ser um agente transmissor para outras pessoas não vacinadas.

 

13) Quais são as reações mais comuns depois de vacinado?
Dor no local da injeção, cansaço, febre e dor de cabeça. Sintomas variam em cada pessoa. Em alguns, nada acontece. Mas quando surgem, estas reações vem de forma leve e tendem a sumir em poucos dias.

 

14) A vacina pode causar infertilidade?
Não há nenhuma evidência científica nem casos relatados e comprovados sobre isso.

 

15) Grávidas podem receber a vacina?
Sim, pois não há estudos que apontem riscos ou consequências para gestantes. Mas é sempre recomendável consultar o médico que está fazendo o pré-natal antes de tomar a vacina.

 

16) Quem define quando e quantas vacinas vem para Porto Alegre e que caminho elas percorrem até o local de vacinação?
Quem compra as vacinas para todo o país é o Governo Federal. O Ministério da Saúde encaminha para os estados os lotes que já chegam ao destino com definição de público alvo, conforme o Plano Nacional de Vacinação. A Secretaria Estadual de Saúde recebe o lote, estoca e determina em conjunto com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde qual a quantidade que cada cidade vai receber, com base nas características das respectivas populações. As doses então são entregues aos municípios, que providenciam a imunização de acordo com seus planos municipais, que são balizados pelo estadual.

 

17) Os governos aplicam menos vacinas do que recebem?
É mentira disseminada pelas fake news, principalmente nas redes sociais. O número exato de doses destinadas para cada cidade e para quais categorias ou faixas etárias é amplamente divulgado. O controle das aplicações é rigoroso. Cada pessoa vacinada é registrada com nome, CPF e endereço. E todos os dados vão para um controle nacional. Os únicos estoques feitos são os que reservam as vacinas para aplicação da 2ª dose, para garantir que ninguém fique sem a imunização completa.

 

18) Qual o intervalo entre a primeira e segunda doses das vacinas aplicadas em Porto Alegre?
A Coronavac tem intervalo de pelo menos 21 dias entre as doses 1 e 2, não tendo qualquer problema vacinar vários dias depois desse prazo. O importante é completar o esquema vacinal. Na vacina de Oxford/AstraZeneca, o intervalo é de no mínimo 12 semanas entre as doses 1 e 2.

 

19) Se eu não receber a segunda dose no período indicado, a vacina perde o efeito?
Não. As Secretarias Estadual e Municipal de Saúde preconizam que o esquema de duas doses seja completado, mesmo fora do prazo. Não há informação técnica nas bulas das vacinas que indiquem perda de efeito. Isso já acontece com outras vacinas disponibilizadas pelo Programa Nacional de Imunização no Brasil.

 

20) As vacinas contra a Covid-19 podem provocar a doença?
Não há a menor possibilidade de você adquirir a Covid-19 por meio das vacinas. São vacinas inativadas, não replicantes.

 

21) Por que eu devo ser vacinado contra a Covid-19?
Porque a vacinação é a única forma segura e eficaz de prevenir a Covid-19, permitindo que nos livremos da pandemia e possamos retomar o convívio social.

 

22) Devo continuar tomando cuidados depois de vacinado?
Sim. Ainda faltam dados para saber se as vacinas, além da proteção contra a doença provocada pelo novo coronavírus − especialmente sua forma grave −, também conseguem impedir a transmissão do vírus entre as pessoas. A ciência dará essa resposta em breve. Até lá, temos que manter todas as medidas de contenção do espalhamento do vírus: a higiene das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%, o uso regular e correto de máscara e o distanciamento físico.

 

23) Como e quando acontecerá a “proteção coletiva”?
Estima-se que quando atingirmos 70 a 80% de cobertura vacinal na população brasileira (exceto a população infantil), conseguiremos obter a imunidade coletiva ou imunidade de rebanho. O prazo para alcançarmos essa meta depende do número de doses de vacinas disponíveis e do tempo que o país vai levar para vacinar toda a população-alvo.

 

24) Se eu quiser, posso solicitar o chamado “kit Covid”?
Não. Por determinação judicial, a rede pública de saúde de Porto Alegre não pode fornecer os medicamentos na formulação conhecida como “Kit Covid”, que inclui cloroquina, hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina e outros produtos. Fármacos como azitromicina e ivermectina sempre fizeram e continuam fazendo parte do estoque das farmácias da rede pública, mas são indicados pelas equipes de saúde apenas para os tratamentos para os quais sempre foram tradicionalmente aplicados, e não para combater a Covid-19.

 

25) Idosos acamados que agendaram vacinação domiciliar mas ainda não foram visitados pelas equipes, como ficam?
Serão vacinados, tanto para 1ª quanto para 2ª dose. Eventualmente ocorrem demoras, mas as equipes sempre cumprem as agendas dentro do prazo seguro.

 

26) Os protocolos são os mesmos em todas as cidades?
Os protocolos de vacinação seguem orientação geral do Plano Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde. Porto Alegre tem o Plano Municipal de Vacinação (disponível aqui).

 

27) A segunda dose está garantida para todos que tomaram a primeira?
A segunda dose da Coronavac já está garantida a todos os vacinados com a dose 1. As segundas doses estão disponíveis nas unidades de saúde abertas à vacinação contra a Covid-19 e também nos drive-thrus.

 

28) Idosos acamados e residentes em asilos precisam agendar a segunda dose?
Não. As equipes de saúde têm o controle das datas para aplicar a segunda dose e retornam aos locais para concluir a vacinação.

 

29) Como posso me prevenir contra golpes, como equipes falsas de vacinação domiciliar?
Peça identificação antes de permitir acesso à sua casa. O crachá do profissional deve ser da Secretaria Municipal da Saúde de Porto Alegre, com nome e matrícula. Todas as equipes de vacinação vestem jalecos brancos, mas isso só não basta para identificação correta. Exija sempre o crachá antes de liberar o acesso ao domicílio. No caso das segundas doses, além de checar a identificação das equipes, confira antes a data no cartão de vacinação para verificar se a equipe está chegando no período marcado.

 

30) A marcação da data da segunda dose no meu cartão de vacinação é garanta de que serei vacinado novamente?
Sim.

 

31) Meu familiar foi vacinado em outra cidade. Ele poderá receber a segunda dose em Porto Alegre?
Todos os moradores de Porto Alegre que estiverem contemplados na faixa etária ou condição indicada pela SMS poderão receber a segunda dose na cidade. Basta apresentar carteira de vacinação comprovando a dose 1, documento de identidade com CPF e comprovante de residência.

 

32) Como é a aplicação da segunda dose para idosos acamados, com dificuldades de locomoção e seus cuidadores?
Equipes volantes da SMS estão retornando aos locais para aplicar a segunda dose.

 

31) O que eu faço se perder a segunda dose?
Pessoas que perderem a aplicação da dose 2 deverão retornar à Unidade de Saúde indicada no momento da aplicação da primeira dose. Ou procurar os drive-thrus.

 

32) Idosos que tomaram a primeira dose em drive-thru, como devem proceder?
Bata procurar as unidades de saúde no prazo indicado na carteira de vacinação Covid-19, levando também documento com CPF. Também podem ir aos drive-thrus, levando os mesmos documentos.

 

33) Como fica a segunda dose para quem foi vacinado em Unidade de Saúde?
Deve retornar ao local no dia marcado na carteira de vacinação. Também podem ir aos drive-thrus levando a mesma documentação.

 

34) Pessoas não residentes que receberam a primeira dose fora da cidade e agora estão em Porto Alegre podem receber a segunda dose na Capital?
Sim. Basta procurar uma unidade de saúde com oferta de vacinação contra a covid-19 e apresentar a carteira de vacinação onde conste o registro da primeira dose e documento de identificação com CPF.

 

35) Os profissionais que não estiverem na cidade na data indicada para a segunda dose, como devem proceder?
Basta a pessoa, assim que retornar a sua cidade de origem, procurar um dos locais de vacinação disponíveis no site do município.

 

36) A pessoa vacinada com a primeira dose pode contrair o vírus?
Pessoas vacinadas com a dose 1 podem desenvolver a Covid-19. A vacina não evita que o novo coronavírus entre no corpo humano. Ela contribui para que os efeitos da doença, causada pela infecção viral, sejam mais leves no organismo. Por isso, mesmo vacinado, continue tomando os cuidados básicos (máscara, distanciamento e higiene das mãos).

 

37) A pessoa com Covid-19 pode ser vacinada?
Não. É preciso aguardar 28 dias após o início dos sintomas (ou da data da coleta do exame, nos casos assintomáticos) para receber a primeira ou a segunda dose de qualquer uma das vacinas contra a Covid-19.

 

38) Idosos que não tem comprovante de residência em seu nome, como fazem?
São válidos comprovantes de residência em nome de filhos, ou parentes com os quais residem.

 

39) Quais são os critérios que determinam as categorias profissionais a serem vacinadas?
O Plano Municipal de Vacinação, que é baseado no Plano Nacional, determina um escalonamento de grupos conforme uma ordem de prioridades determinadas pelos riscos de contaminação gerado pelas atividades profissionais de cada um. Este escalonamento é necessário porque depende da quantidade de vacinas que são disponibilizadas aos estados pelo Ministério da Saúde.

 

40) Profissionais de Saúde que foram vacinados com a primeira dose no mutirão de 6 de fevereiro, quando recebem a segunda dose?
Elas estão disponíveis nos Centros de Saúde Modelo e IAPI. Para as pessoas que receberam a vacina de Oxford, a segunda dose deve ser feita a partir de 12 semanas, contadas a partir de 7 de fevereiro. Essas pessoas devem ficar atentas às informações divulgadas pela SMS.

 

41) Perdi meu cartão de vacinação, como fica minha segunda dose?
Procure uma unidade de saúde antes de ir ao ponto de vacinação. Na US, a equipe acessa o sistema e confere o registro da sua primeira dose e então fornece um novo cartão. Não tente receber a segunda dose sem fazer um novo cartão, pois os vacinadores não terão como identificar se você tem direito ou não.

 

Fonte: Direção de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde

Edição: Andrea Brasil

Compartilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn