Projeto apresenta o circo sob o olhar do teatro e da dança e a roda Cyr como protagonista

 

Projeto apresenta o circo sob o olhar do teatro e da dança e a roda Cyr como protagonista

 

Uma roda Cyr (grande aparelho circular que permite várias manobras acrobáticas), dois números, inúmeras possibilidades. A arte circense é dirigida, de um lado, sob a perspectiva teatral, e, por outro, pela linguagem da dança. Esta é a proposta de “Diálogo de corpos e rodas”, que será apresentado no dia 8 de julho (quinta-feira), às 20h, pelo Youtube (Diálogo de Corpos e Rodas).

 

Os idealizadores do projeto, os artistas circenses Joaquin Vivas e Paolla Ollitsak, convidaram a diretora de teatro Guadalupe Casal, a atriz e bailarina Letícia Paranhos e o maestro Luiz Martins, diretor-artístico e fundador da Orquestra Filarmônica de Alagoas, para um espetáculo inovador de pesquisa sobre circo-contemporâneo e construção de novas possibilidades de girar a arte: o circo sob o olhar do teatro e da dança.

 

‘Diálogo de corpos e rodas’ é, na verdade, um espetáculo inédito no atual mercado mundial da roda Cyr. As diretoras Guadalupe Casal e Letícia Paranhos foram desafiadas a explorar as inúmeras possibilidades do equipamento, não só de movimentos, mas de manipulação e truque. Juntos, trabalhamos a interpretação de dois personagens e duas histórias completamente diferentes que têm em comum o encantamento”, destaca Joaquin.

 

Roda Cyr – No início dos anos 2000, o acrobata canadense e presidente do Cirque Éloize, com sede em Montreal, Daniel Cyr, inventou a roda, ou melhor, um círculo gigante de metal cuja semelhança a um bambolê se restringe apenas à forma. A roda Cyr, que começa a ganhar espaço por aqui entre iniciados ou não na arte circense, oferece mil possibilidades, e o ponto alto é fazer o próprio corpo rodopiar pelo ar. Feita em alumínio ou ferro, a estrutura chega a pesar 20 quilos.

 

Os idealizadoresJoaquin Vivas estreou, aos 5 anos de idade, nos palcos do teatro com a Fundación Cultural Ditirambo Teatro, na Venezuela, sob a direção de Jorge Feijoo. Por lá ficou por quase uma década, onde mergulhou em diferentes linguagens, como performance, expressão corporal, roteiro, teatro de bonecos, som e iluminação. A arte circense se materializou a partir de 2007, principalmente, com números de equilibrismo, malabarismo, palhaçaria e faquirismo. Da mesma forma, Paolla Ollitsak utiliza o circo e a dança como ferramentas de expressão, sempre em busca de novas formas e movimentos. Especializada em roda Cyr, iniciou a carreira com espetáculos e intervenções na rua, e, atualmente, frequenta a Escola Nacional de Circo do Brasil.

 

O projeto “Diálogos de corpos e rodas” é executado através do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas realizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20.

 

FICHA TÉCNICA
Coordenação geral: Joaquin Vivas
Direção artística: Guadalupe Casal e Letícia Paranhos
Trilha sonora original: Luiz Martins
Performers: Joaquin Vivas e Paolla Ollitsak
Diretor audiovisual: Felipe Paes
Iluminador: Filipe Farinha
Produção: Luka Ibarra, Lucida Desenvolvimento Cultural
Assistência de produção: Claudia Dutra
Assessoria de Imprensa: Roberta Amaral
Agradecimentos: Sustain Produções – Driko Oliveira e Marlon Dias, Espaço Criativo n, Sala Álvaro Moreyra e Equipe Técnica, Diego Groismann, Casa de Cultura Mário Quintana

 

SERVIÇO
Apresentação “Diálogo de corpos e rodas”
Quando: 8 de julho, quinta-feira às 20h
Onde: Youtube Diálogo de corpos e rodas

 

Crédito das fotos:  © Felipe Paes

Compartilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn