“Presença Negra no MARGS”

 

“Presença Negra no MARGS”

 

O Programa Público “Presença Negra no MARGS” será lançado quinta-feira, 10/06, às 19h, em live com Izis Abreu (MARGS) e Igor Simões (UERGS), que farão a apresentação do projeto e de suas bases conceituais. Transmissão no YouTube do MARGS.

 

Já no dia 17, 19h, teremos a conferência “Arte afro-brasileira: entre o visível e o oculto”, com o pesquisador e curador Hélio Menezes.
Transmissão no YouTube do MARGS.

 

“Presença Negra no MARGS” propõe o debate sobre a presença e representatividade de artistas negros/as no Acervo do Museu e no sistema da arte.

 

Nas palavras de Izis Abreu:
“Entre 1.020 artistas do Acervo, temos ao menos 22 negros/as, cerca de 2%. Coleções de museus designam o que é considerado arte e quais objetos devem ou não fazer parte, definindo quais subjetividades devem ser preservadas, difundidas e acessadas. Assim, acabam por reverenciar alguns artistas em detrimento de outros. Por conseguinte, a equidade de representações passa pela reflexão das relações de poder que determinam a inserção e a recusa. Pensando nisso, ‘Presença Negra no Acervo do MARGS’ soma-se a uma série de debates que vêm sendo estimulados pela atual gestão, como forma de consolidação de políticas institucionais que buscam a inclusão do pluriversal na produção do sensível.”

 

Nas palavras de Igor Simões:
“Estamos vivendo o resultado do acúmulo de séculos de luta dos negros e suas formas de agrupamento e resistência. A arte brasileira, que nunca foi neutra, é um dos espaços de visibilidade dessa disputa. Como nossos acervos, exposições e narrativas se permitiram construir com tão parca participação de negros em um país em que 54% da população se declara não negra? Como podemos olhar com normalidade a infinidade de listas compostas apenas por artistas brancos? No caso do Rio Grande do Sul, a dificuldade se acirra. A insistência em uma história de ascendência europeia serviu para nublar a presença de sujeitos negros em um Estado com forte contingente de pessoas racializadas como negras.”

 

“Presença Negra no MARGS” é coordenado pelo Núcleo Educativo e de Programa Público do MARGS, no âmbito do convênio com a UERGS e da parceria com o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros, Indígenas e Africanos (NEAB), da UFRGS.

Compartilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn