Medalhas no Mundo do Vinho

 

Medalhas no Mundo do Vinho

 

As vezes fico pensando que, seu eu tivesse que comprar algo incomum, como por exemplo um cavalo árabe, será que eu seria influenciado pela quantidade de medalhas coladas na crina de um certo animal? Como nunca precisei comprar um cavalo árabe, seria certamente influenciado por uma medalha, por menor que fosse. Muito provável.

 

E será que a mesma associação funciona com o mundo dos vinhos? Você já comprou vinhos por causa de uma medalha adesivada ao rótulo? Por qual motivo os produtores colocam medalhas em suas garrafas? A resposta à esta pergunta, depende muito do seu nível de conhecimento no mundo do vinho.

 

E porque somente algumas garrafas são “medalhadas”. Será que muitos produtores não acreditam na força da indicação do resultado de premiações nacionais ou internacionais? Eu penso que a própria existência de muitos concursos esteja reduzindo o encanto das pontuações.

 

Preciso reforçar que existem diversos tipos de comprovações. Podem existir medalhas de concursos e podem existir medalhas que refletem o gosto de um crítico de vinhos ou de uma instituição. Coisas completamente distintas. O primeiro avalia amostras entregues para serem comparadas entre si e o outro indica o gosto pessoal de um provador treinado e independente.

 

Muitos consumidores gostam de comprar vinhos com premiações comprovadas estampadas na garrafa. Faz muito sentido para quem não conhece muito bem regiões, produtores e uvas. Muitas vezes o vinho que recebeu a medalha de ouro foi o melhor dentre as opções inscritas naquele concurso, mas não de todas opções de vinhos daquele mercado.

 

Alguns dos concursos mais importantes da atualidade são realizados na França (Vinalies Internationales; Effervescents du Monde; Citadelles du Vin); Inglaterra com Decanter WWA; aqui mais perto no Chile com os famosos Descorchados e Catador com uma grande quantidade de vinhos brasileiros sendo avaliados e premiados; Estados Unidos com as avaliações da Wine Spectator e outros realizados em outros países da Europa.

 

Já li estudos que comprovam que uma medalha, pode sim, aumentar o preço de venda de um certo vinho em aproximadamente 15% no mercado em que o mesmo está sendo distribuído. Nada mal. Um diferencial em margem que justifica toda a ginástica de entrar e concorrer em qualquer concurso. Portanto medalhas importam e funcionam, pois auxiliam consumidores e produtores.

 

Há uns quinze anos atrás, quando entrei de cabeça no mundo dos vinhos, uma ou outra medalha me influenciou em alguma compra. Hoje não ligo tanto assim. Respeito e admiro o envolvimento e engajamento com a categoria de concursos. Existem muitos eventos sérios que avaliam da forma correta a qualidade do vinho dentro da garrafa. Hoje sigo muito as indicações de meus amigos.

 

Curta a vida com leveza.
Se beber, vá de carona.

 

Texto: Júlio Gostisa

 

Compartilhar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn